Pajubá, Exú e padê

Tranca-rua

Como o Nagô, linguagem utilizada em rituais de umbanda e candomblé, originária do Iorubá da Benin, Nigéria e Togo, foi parar no vocabulário cotidiano das bees??? É do sul do Saara africano que veio o pajubá (ou bajubá, como preferirem), linguagem muito comum entre GLBTs de todo o país. Verbetes comuns de se ouvirem como “aqué”, “coió”, “edi”, “neca” e “picumã” já são familiares até para aquelas que teimam em não dar pinta. O que vale é que o vocabulário já ganhou até forma de dicionário, pelo jornalista e fashionista Vitor Ângelo, sendo constantemente atualizado.

Em comunidades do orkut relacionadas à homossexualidade, é comum ver alguns membros ostentando algum nome de orixá em seus nicks. Em tempos de BigBrother, o primeiro participante do programa a assumir sua homossexualidade, Jean Willis, também divulgava sua fé, fazendo mandinga, oração ou simplesmente usando uma camiseta de seu santo guerreiro.

Recentemente, o colunista da Folha Online Sérgio Ripardo publicou uma entrevista com o jornalista da Rede TV! Felipe Campos, aquele mesmo que dublava canções dramáticas com a cara pintada no programa “Qual é a música?” no SBT, na qual divulga seu casamento com o produtor de moda Rafael Cordeiro dentro dos rituais do candomblé.

Assim como era comum há alguns anos as bilus serem adeptas do yoga e budismo, hoje é cada vez mais normal ver gays aderindo à religião afro, já que a mesma não costuma discriminar seus membros segundo suas orientações sexuais. Pode ser desses terreiros que a pajubá tenha ganhado força entre travestis, drag queens, quá quás, monas, bofes, dykes, sandalinhas etc.

Só espero que o santo do performático Felipe Campos não seja Exú, senão ao invés de servir bem-casado no final da festa, é o padê que vai fazer as vezes. 

Padê para Exú

Ingredientes:
- 01 pacote de farinha de milho amarela
- 01 vidro de azeite de dendê
- 01 cebola grande
- 01 bife
- 03 charutos
- 01 caixas de fósforo
- 01 garrafa de aguardente
- 07 pimentas vermelhas
Modo de preparo: Em um alguidar coloque a farinha de milho e um pouco de dendê, com as mãos faça uma farofa bem fofa sempre mentalizando seu pedido. Corte a cebola em rodelas e refogue ligeiramente no dendê, faça o mesmo com o bife. Cubra o padê com as rodelas de cebola e no centro coloque o bife, enfeite com as sete pimentas. Ofereça a Exú o padê não esquecendo dos charutos e da aguardente.

About these ads

Uma resposta para “Pajubá, Exú e padê

  1. ailton barbosa ferreira

    otimo ,mas arrume para mim uyum pade para que eu possa fazer para trazer de volta meu homen

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s